Aumente a sua fertilidade | Increase your fertility

A Infertilidade é uma doença reconhecida pela
Organização mundial de Saúde, com uma prevalência em Portugal de cerca de 15 a
20% da população em idade reprodutiva. É definida como a incapacidade de
conceber depois de, pelo menos, um ano de relacionamento sexual sem qualquer
proteção. Pode até manifestar-se apenas após o nascimento do primeiro filho,
caracterizando-se assim por infertilidade secundária.

Que fatores
aumentam a infertilidade?

As causas mais comuns são disfunções na ovulação
e obstrução das trompas de Falópio, patologias uterinas, tumores malignos e
malformações, no caso das mulheres. Nos homens manifesta-se sobretudo devido a
anomalias da quantidade, motilidade e forma dos espermatozoides, lesões no
escroto, tumores e alterações genéticas, e é de fácil diagnóstico.
Atualmente acredita-se que para além das
anomalias relacionadas com o aparelho reprodutor e de algumas doenças
oncológicas, autoimunes e infeções sexualmente transmissíveis, existem fatores
derivados do estilo de vida que podem afetar a fertilidade. Fatores como o
adiamento da idade da conceção, hábitos sedentários, consumo excessivo de
gorduras, tabaco, álcool e drogas podem estar relacionados com a dificuldade em
conceber um bebé. A exposição a gases tóxicos e a químicos alimentares também
tem sido apontada como um fator de risco.
Como se
previne?

No caso da mulher é particularmente
importante não adiar a idade com que se tem, pelo menos, o primeiro filho,
sobretudo a partir dos 33 anos. É também importante consultar regularmente o
ginecologista para despiste de doenças e rever a qualidade e composição dos
seus hábitos alimentares. Devem evitar-se as gorduras saturadas e dar
preferência a gorduras insaturadas como as nozes, as amêndoas, o abacate ou o
óleo de coco. Estas gorduras ajudam a equilibrar o sistema hormonal, para além
de ajudarem a diminuir o colesterol e a controlar o stress.

Deverá também ter em conta o seu peso. Nas
mulheres é o desequilíbrio de estrogénios que afeta a fertilidade, impedindo a
ovulação – o excesso de estrogénios nas mulheres obesas e a escassez
nas mulheres muito magras ou nas desportistas com muito pouca massa gorda. Para
além disso, o tecido adiposo é responsável pela reserva de estrogénios pelo que
uma elevada quantidade de gordura corporal poderá levar a uma elevada
concentração de estrogénios e diminuir a quantidade de espermatozoides
produzidos, no caso dos homens. Nestes a obesidade poderá ainda trazer uma
dificuldade acrescida de conceber pois o excesso de gordura corporal provoca um
aumento da temperatura corporal, sobretudo na zona dos testículos, o que
dificulta a produção de espermatozoides. Homens que sejam condutores
profissionais, que passam muito tempo sentados com as pernas juntas, que vão a
saunas frequentemente ou que usam roupa interior juntas estão mais sujeitos a
padecer deste problema.

Como se
aumenta a fertilidade?

Mulher
Caso não existam causas que necessitem de
tratamento, a ovulação pode ser estimulada e alguns problemas podem ser
remediados com a ingestão diária de algumas vitaminas e minerais:

  • Ferro: de
    extrema importância para a qualidade do sangue, para a produção de óvulos e
    para o reforço de sistema imunitário. A quantidade diária recomendada é de
    54mg.
  • Vitamina B6:
    Melhora as probabilidades de ovulação de uma mulher. A ovulação refere-se ao
    momento em que o ovário de uma mulher liberta o óvulo para a fertilização, o
    que acontece 1 vez por mês. Esta vitamina ajuda a regular os níveis hormonais
    durante a fase lútea, os 11 a 16 dias que vão da ovulação á menstruação. A dose
    diária recomendada é de 1.6mg.
  • Vitamina E: importante na proteção contra os efeitos nocivos das
    substâncias tóxicas, ajuda a proteger contra a degeneração celular e
    consequente cancro, inflamações das articulações e das complicações provocadas pela diabetes. É importante também na
    prevenção de doenças cardiovasculares, melhora a circulação sanguínea e,
    também, é fundamental na formação dos gametas sexuais. Os
    especialistas aconselham a ingestão de 8 mg diários deste nutriente no caso das
    mulheres.
  • Vitamina D:
    A obtenção da dose diária recomendada desta vitamina (1000 mg) é especialmente
    difícil no inverno, tendo em conta que a exposição solar é a melhor forma de a
    sintetizarmos. A vitamina D tem um papel muito importante no desenvolvimento
    dos folículos (onde se formam os óvulos) e pode ser encontrada em alimentos
    como os ovos, o abacate, o salmão, o leite ou as nozes.
  • Vitamina C:
    Essencial para a manutenção de um sistema imunitário saudável e da
    estabilização dos níveis hormonais, esta vitamina ajuda o organismo a
    metabolizar água de forma mais eficiente, o que aumenta o muco cervical. Para
    além disso ajuda a combater infeções que podem prejudicar a ovulação. A dose
    diária recomendada para a vitamina C é de 65 mg.
  • Ácido
    Fólico:
    contribui para sintetizar o material genético em todas as células do
    corpo e a normalizar a função do cérebro. Alguns estudos indicam que as
    mulheres que tomam ou que ingerem frequentemente ácido fólico (através de
    frutos secos, vegetais de folha verde escura ou azeitonas), têm um risco menor
    de desenvolver problemas de fertilidade. No caso do ácido fólico, a dose diária
    recomendada é de 400mg. 

Para além da suplementação algumas plantas medicinais poderão ser usadas para melhorar a fertilidade feminina:

  • Dong Quai:
    utilizada para regular o ciclo menstrual, além de ajudar a restabelecer a
    menstruação após a interrupção da toma de um contracetivo oral.
  • Salva:
    planta que contem estrogénios e que ajuda a regular e a equilibrar os ciclos
    menstruais, favorecendo a ovulação.
  • Ginseng
    Siberiano:
    planta que ajuda a fortalecer o fluxo sanguíneo para o sistema
    reprodutor. Contribui ainda para o equilíbrio hormonal e ajuda a aumentar o
    libido.
  • Ginkgo
    Biloba:
    auxilia a vasodilatação e promove a produção de ácido nítrico,
    necessário para estimular o aumento de fluxo sanguíneo para os órgãos sexuais.
  • Urtiga:
    planta rica em vitaminas e minerais que ajudam a regenerar o útero e a melhorar
    o seu funcionamento.

Homem

Muitos homens não têm uma causa
evidenciada e comprovada de infertilidade. Para isso, é essencial fazer um
espermograma e despistar os fatores que podem estar na sua origem. A
suplementação de alguns nutrientes específicos pode ser benéfica
  • Ómega 3:
    ajuda a melhorar a mobilidade dos espermatozóides o que aumenta as
    probabilidades de fecundação do óvulo. Pode ser encontrado em alimentos como
    peixes gordos, ovos, leite ou sementes de linhaça. A dose diária recomendada é
    de cerca de 0,5g.
  • Zinco: é um
    mineral que geralmente se associa à melhoria da concentração e contagem de espermatozóides. Pode ser encontrado em alimentos como cereais integrais, ovos,
    abóbora, nozes ou feijão. A dose diária recomendada é de cerca de 15mg.
  • Vitamina A:
    é essencial para a assimilação e aproveitamento de proteínas e
    outras vitaminas. É recomendada uma ingestão diária de  800 µg que pode ser encontrada em alimentos como
    fígado, brócolos, abóbora, cenoura, laranja ou manga.
  • Vitamina C:
    um antioxidante que ajuda a proteger os espermatozóides contra agressões
    externas e a melhorar a sua movimentação. É geralmente encontrada em alimentos
    como a laranja, o tomate ou o quivi e a sua dose diária recomendada é de cerca
    de 100mg.
  • Vitamina E:
    Outra vitamina antioxidante que protege os espermatozóides de mutações e
    auxilia a produção de hormonas importantes para o sistema reprodutor. Tem uma
    dose diária recomendada de cerca de 15mg e pode ser encontrada sobretudo no
    óleo de gérmen de trigo, nozes, óleo de girassol ou amêndoas.

Além da ingestão adequada destes nutrientes, algumas plantas
medicinais podem ser igualmente benéficas para a fertilidade masculina:

  • Tribulus terrestris: pode
    aumentar a produção de testosterona e consequentemente a contagem de espermatozóides.
  • Espargos: são considerados
    tónicos sanguíneos que permitem uma maior vascularização e circulação do sangue
    ao nível do sistema reprodutor ajudando a aumentar a contagem de espermatozóides e a qualidade da ejaculação.
  • Maca peruana: planta com efeitos
    comprovados no aumento do libido e da qualidade da performance sexual.
  • Saw Palmeto: uma das melhores
    ervas para a saúde reprodutiva masculina, ajuda a melhorar a função prostática.

Infertility
is a disease recognized by the World Health Organization, with a prevalence in
Portugal of about 15-20% of the population of reproductive age. It is defined
as the inability to conceive after at least one year sexual relationship
without any protection. It may even be manifested only after the birth of first
child, characterizing it by secondary infertility.
What factors increase infertility?
The most
common causes are disorders in ovulation and obstruction of the fallopian
tubes, uterine diseases, malignant tumors and malformations in the case of
women. In men manifests itself mainly due to abnormalities in the amount, shape
and motility of spermatozoa, scrotum lesions, tumors and genetic changes, and
it is easily diagnosed.
Currently
it is believed that in addition to deficiencies associated with the
reproductive system and some oncologic diseases, autoimmune diseases and
sexually transmitted infections, there are derivatives of lifestyle factors
that can affect fertility. Factors such as the postponement of the age of getting
pregnant, sedentary habits, excessive consumption of fats, tobacco, alcohol and
drugs may be related to the difficulty in conceiving a baby. Exposure to toxic
gases and chemicals to food has also been identified as a risk factor.
How to
prevent it?

In the case
of women is particularly important not to delay the age at which you have at
least the first child, especially after 33 years of age. It is also important
to regularly consult the gynecologist to screening for diseases and review the
quality and composition of their dietary habits. Should be avoided saturated
fats and to prefer unsaturated fats like nuts, almonds, avocado or coconut oil.
These fats help balance the hormonal system, in addition to helping to reduce
the cholesterol and to control stress.
It should
also take into account the body weight. In women is the imbalance of estrogen
that affects fertility, preventing ovulation – excess of estrogen in the obese
women and scarcity in very thin women or in athletes with very little body fat.
Additionally, the adipose tissue is responsible for the reservation of estrogen
whereby a high amount of body fat can lead to a high concentration of estrogens
and decrease the amount of spermatozoa produced in the case of men. Obesity may
also bring an added difficulty to conceive because excess body fat causes a
rise in body temperature, particularly in the area of ​​the testicles, which
hinders the production of sperm. Men who are professional drivers, who spend
time sitting with your legs together, which often go to saunas or using
underwear together are more likely to suffer from this problem.

How to
increase fertility?
Woman

If there
are no causes that require treatment, ovulation can be stimulated and some
problems can be remedied with the daily intake of some vitamins and minerals:
  • Iron:
    extremely important for the quality of the blood, egg production and the
    strengthening of the immune system. The recommended daily amount is 54mg.
  • Vitamin B6:
    It improves the odds of ovulation of a woman. Ovulation refers to the time when
    a woman’s ovary releases the egg for fertilization, which occurs one time per
    month. This vitamin helps regulate hormone levels during the luteal phase, 11
    to 16 days ranging from ovulation to menstruation. The recommended daily dose
    is 1.6mg.
  • Vitamin E:
    important in protecting against the harmful effects of toxic substances, it
    helps protect against cellular degeneration and consequent cancer, joint
    inflammation and complications caused by diabetes. It is also important in the
    prevention of cardiovascular disease, improves blood circulation and also is
    critical in the formation of sexual gametes. Experts advise to 8 mg daily
    intake of this nutrient for women.
  • Vitamin D:
    Getting the recommended daily allowance of this vitamin (1000 mg) is especially
    difficult in winter, given that sun exposure is the best way to synthesize.
    Vitamin D plays an important role in the development of the follicles (where
    they form the ova) and can be found in foods such as eggs, avocado, salmon,
    milk and nuts.
  • Vitamin C:
    Essential for the maintenance of a healthy immune system and stabilization of
    hormone levels, this vitamin assists the body to metabolize the water more
    efficiently, which increases the cervical mucus. Furthermore it helps fight
    infections that can harm ovulation. The recommended daily allowance for vitamin
    C is 65 mg.
  • Folic Acid:
    contributes to synthesize genetic material in all body cells and to normalize
    brain function. Some studies indicate that women who often take or ingest folic
    acid (via nuts, dark green leafy vegetables or olives), have a lower risk of
    fertility problems. In the case of folic acid, the recommended daily dose is
    400mg.

In addition to supplementation of medicinal plants can be used to improve female fertility:

  • Dong Quai:
    used to regulate the menstrual cycle and helps to restore menstruation after
    stopping the intake of an oral contraceptive.
  • Sage:
    plant that contains estrogen and helps regulate and balance menstrual cycles,
    promoting ovulation.
  • Siberian
    Ginseng:
    plant that helps strengthen blood flow to the reproductive system. It
    also contributes to the hormonal balance and helps to increase libido.
  • Ginkgo
    biloba:
    vasodilation assists and promotes the production of nitric acid
    required to stimulate increased blood flow to the sexual organs.
  • Nettle:
    plant rich in vitamins and minerals that help regenerate the uterus and to
    improve its operation.


Man

Many men do
not have a demonstrated and proven cause of infertility. Therefore, it is
essential to make sperm and outwit the factors that may be at the source. The
supplementation of specific nutrients may be beneficial:

  • Omega 3: helps improve sperm motility which increases the egg fertilization probabilities. Can be found in foods such as fatty fish, eggs, milk, or flaxseed. The recommended daily dose is about 0.5g.
  • Zinc: is a mineral that usually is associated with improved concentration and sperm count. It can be found in foods such as whole grains, eggs, pumpkin, nuts or beans. The recommended daily dose is about 15mg.
  • Vitamin A: It is essential for the absorption and utilization of proteins and other vitamins. A daily intake of 800 ug which can be found in foods such as liver, broccoli, pumpkin, carrot, orange or mango is recommended.
  • Vitamin C: An antioxidant that helps protect sperm against external aggression and improve their movement. It is generally found in foods such as orange, tomato or kiwi and their recommended daily dose is about 100mg.
  • Vitamin E: antioxidant this is another vitamin that protects sperm mutations and assists the production of important hormones for reproductive system. It has a recommended daily dose of about 15mg, and may be found particularly in wheat germ oil, walnut, sunflower oil or almond.
Medicinal
plants may also be beneficial to male fertility:
  • Tribulus terrestris: can increase the production of testosterone and therefore sperm count.
  • Asparagus: are considered blood tonics that allow greater vascularization and blood flow to the reproductive system level helping to increase sperm count and quality of ejaculation.
  • Maca: plant with proven effects in increasing the libido and sexual performance quality.
  • Saw Palmetto: one of the best herbs for male reproductive health, helps improve prostate function.

Pictures from The Grace Tales
0 Comentários

Deixar Comentário