Influência da alimentação no Cérebro | Your brain on food

Como o nosso cérebro
funciona sob a influência dos alimentos

O nosso cérebro está
constantemente a funcionar para dar resposta aos nossos movimentos, às nossas
emoções, aos batimentos cardíacos, às estimulações nervosas, etc… Ele trabalha
arduamente 24 horas por dia, todos os dias, mesmo quando estamos a dormir. E
isto significa que precisa de energia de forma constante. Esta energia provêm
da nossa alimentação e, da mesma maneira que temos cuidado com o combustível que
colocamos nos nossos carros para não os estragarmos, ao cérebro devemos dar
sempre a energia de melhor qualidade pois é ela que vai influenciar a saúde do
nosso cérebro e, de forma mais automática, o nosso estado de espirito.

Comer alimentos de qualidade,
ricos em vitaminas, minerais e antioxidantes nutre o cérebro e protege-o do
stress oxidativo evitando o envelhecimento. No entanto, se tivermos uma
alimentação rica em açúcares refinados e gorduras saturadas, podemos desregular
o metabolismo da insulina, promover a inflamação e provocar stress oxidativo. Múltiplos estudos conseguiram encontrar uma
relação entre o consumo elevado de açúcares refinados e o decréscimo das
capacidades cerebrais, ou até mesmo de alguns problemas mais graves como a
bipolaridade, as oscilações de humor e a depressão.
Hoje em dia, a ciência
descobriu um vinculo forte entre o que comemos, como nos sentimos e como nos
comportamos, onde as bactérias da flora intestinal, participam de forma muito
ativa.
Mas, como é que tudo isto se processa?

A serotonina é uma das hormonas mais importantes para o nosso bem-estar.
Ajuda a regular o nosso sono, o apetite, a controlar a forma como nos sentimos
e a inibir a dor. Como esta é produzida
maioritariamente no trato gastroinestinal (95% aproximadamente), e como este
possui centenas de milhares de células nervosas, é normal que o nosso intestino
seja, não só um canal para o processo digestivo mas também um recetor de
emoções e sensações.
Além disso, a produção de serotonina e de outros
neurotransmissores, é altamente influenciada pelos milhões de bactérias da
nossa flora intestinal. Estas servem como barreira protetora do nosso intestino
impedindo que absorvamos toxinas, que as colónias de bactérias “más” e vírus se
desenvolvam, evitando que o nosso corpo desenvolva inflamações, permitindo-nos
absorver os nutrientes corretamente e ainda ativando os sistemas nervosos que
ligam o intestino ao cérebro.

Estudos recentes conseguiram
mostrar que quando as pessoas tomam suplementos de probióticos, os seus níveis de
ansiedade baixam, elas conseguem controlar melhor os níveis de stress e
desenvolvem uma maior capacidade de raciocínio do que aquela que tinham antes
de reforçarem a sua barreira intestinal. Outros estudos que compararam diversos
tipos de alimentações como a mediterrânica ou a japonesa com a alimentação
ocidental, concluíram que o risco de
depressão nas primeiras era cerca de 25 a 35% mais baixo do que na segunda.

Nestes, os cientistas perceberam que esta relação tinha a ver com o facto de,
na alimentação mediterrânica ou japonesa se consumirem mais vegetais, fruta, peixe,
carnes brancas, azeite, cereais e sementes e menos alimentos processados. Além
disso, a maior parte dos alimentos não processados destas dietas são
fermentados, o que significa que são ricos em probióticos e que ajudam a
reforçar a barreira intestinal.
Se se sente frequentemente cansado, sem energia, muito stressado, ou se
está constantemente com algum problema de saúde, deverá ter estes dados em
consideração:

Comece a reparar como se sente ao longo dos dias. Se for necessário
escreva um diário alimentar com o que comeu e como se sentiu para perceber que
alimentos podem estar a prejudicar o seu dia.
Coma de forma mais saudável:
  • Corte nos açúcares, nas bebidas alcoólicas
    e nos alimentos processados. 
  • Procure alimentos como o açúcar de coco, o mel, o
    agave, ou a stevia para substituir o açúcar refinado
  • Use azeite, óleo de
    sésamo ou óleo de coco como gorduras preferenciais para cozinhar
    ,
  • Evite
    alimentos muito ricos em gorduras saturadas como carnes vermelhas, bolos de
    pastelaria, bolachas e fritos. 
  • Pratique uma alimentação mais rica em alimentos
    fermentados como iogurte, tofu, seitan, chucrute, pickles ou kombucha
     
  • Experimente, durante alguns dias, evitar os alimentos lácteos e os alimentos
    ricos em glúten
    (trigo, centeio, cevada, espelta, couscous, bulgur, etc…)
  • Seja mais ativo!

A minha experiência pessoal é
que, de uma forma geral quando as pessoas mudam os seus hábitos alimentares e
têm uma alimentação mais limpa e saudável a forma como se sentem é incrivelmente
melhor, têm mais paciência para a família, encaram as situações complicadas no trabalho
com mais tranquilidade, têm maior poder de decisão e são mais felizes.
Experimente estes pequenos passos, prometo que não se vai arrepender!

How our brain works under the influence of food
Our brain is
constantly working to respond to our movements, our emotions, the heartbeat,
the nerve stimulation, etc … He works hard 24 hours a day, every day, even
when we are asleep. And that means you need to power steadily. This energy
comes from our food and the same way we care for the fuel we put in our cars, the
brain must always give the best quality energy because it is what will
influence the health of our brain and, more automatically, our state of mind.
Eating quality
food, rich in vitamins, minerals and antioxidants nourishes the brain and
protects it from oxidative stress preventing aging. However, if you have a diet
high in refined sugars and saturated fats, you can disrupt the insulin
metabolism, promote inflammation and cause oxidative stress. Multiple studies
have found a link between high consumption of refined sugars and decrease in
brain capacity, or even some more serious problems such as bipolar disorder,
mood swings and depression. Today,
science has discovered a strong link between what we eat, how we feel and how
we behave, where bacteria of the intestinal flora, participating very actively.


But how does all this works?
Serotonin is one of the most important hormones to our
well-being.
It helps regulate
our sleep, appetite, control how we feel and inhibit pain. As this is mostly
produced in gastroinestinal tract (95% approximately), and how it has hundreds
of thousands of nerve cells, it is normal that our gut is not only a channel
for the digestive process but also a receiver of emotions and sensations. Moreover, the production of serotonin, and
other neurotransmitters, is highly influenced by our million bacterial
intestinal flora. These serve as a protective barrier of our intestines
preventing absorvamos toxins, bacteria colonies “bad” and viruses
develop, preventing our bodies develop inflammation, allowing us to absorb
nutrients properly and even activating the nervous systems linking intestine to
the brain.
 Recent studies have shown that when people take probiotic supplements, their anxiety levels drop, they can better control stress levels and develop a greater ability to reason than that they had before strengthen their intestinal barrier. Other studies comparing different types of feeds such as the Mediterranean or Japanese with the western diet, concluded that the risk of depression in the first was about 25 to 35% lower than in the second. In these, scientists realized that this relationship had to do with the fact that, in the Mediterranean or Japanese food are consumed more vegetables, fruit, fish, white meat, olive oil, cereals and grains and less processed foods. Furthermore, most of the unprocessed these diets are fermented, which means are rich in probiotics and which help enhance the intestinal barrier. If you feel often tired, no energy, very stressed, or are constantly with a health problem, you should take this information into consideration: Notice how you feel throughout the day. If you need to write a food diary with what they ate and how it felt to realize that foods may be harming your day.
 Eat more healthily:
  • Cut the sugars, alcoholic beverages and processed foods.
  • Look for foods such as coconut sugar, honey, agave, or stevia to replace refined sugar
  • Use olive oil, sesame oil or coconut oil as the preferred fats for cooking
  • Avoid foods rich in saturated fats such as meat, pastry cakes, biscuits and fried
  • Practice a diet richer in fermented foods like yogurt, tofu, seitan, sauerkraut, pickles or kombucha
  • Try for a few days, avoid dairy foods and foods high in gluten (wheat, rye, barley, spelled, couscous, bulgur, etc…)
  • Become more active!
 My personal experience is that in general when people change their eating habits and have a cleaner and healthier diet, they feel incredibly better, have more patience for theirs families, face complicated situations at work with more tranquility, they have greater decision-making power and are happier. Try these small steps, I promise you will not regret!
1 Comentários
  • Xi Coração

    Responder

    A Mafalda trata tudo de uma forma diferente! Augura muito sucesso profissional.
    Parabéns por nos ajudar aqui também.

Deixar Comentário