Guest Post: Nem acredito que é saudável

O nosso guest post de hoje é dedicado à querida Sara do blog Nem acredito que é Saudável, um blog com imensas sugestões saudáveis e boas para o nosso dia-a-dia.
O seu
blog é um pessoal tem receitas muito originais, que realmente nos custam a
acreditar que são saudáveis de tão boas que parecem. A inspiração para as criar
vem da sua relação com a medicina chinesa?
A Medicina Chinesa é sem dúvida um dos motivos pelo qual sinta que há uma grande necessidade nos alimentarmos bem e com qualidade.Tento fazer uma ponte entre os seus ensinamentos e as teorias mais modernas sobre alimentação de modo a conseguir adaptar as receitas à realidade dos dias de hoje. Manter um corpo e uma mente saudáveis é fundamental para evitar doenças e problemas mais graves e é sobretudo isto que me move para criar receitas para o blog. Sou vegetariana desde muito cedo e sempre tive muito cuidado com o que como, daí ter sentido necessidade e buscar alternativas menos nefastas para o corpo.  Fui conhecendo novos ingredientes, fui experimentando e percebi que há muitas opções que podemos escolher para além das mais comuns. Foi sobretudo depois de começar a dar consultas que me apercebi da necessidade e da vontade de muitas pessoas em  mudar a alimentação mas que tantas vezes adiaram por falta de conhecimento ou de ideias para cozinhar.  É assim que nasce o “Nem acredito que é saudável!”.
A sua alimentação diária segue algumas regras ou vai gerindo
a sua ingestão calórica consoante o dia?
Sendo vegetariana, não consumo obviamente carne nem peixe, evito também o consumo de ovos principalmente se não forem biológicos e não bebo leite.
Apesar de não ser intolerante ao glúten, evito-o no dia a dia porque me provoca algum desconforto. Fora estes cuidados sigo uma alimentação equilibrada com um consumo controlado de doces e comidas processadas. Tento beber pelo menos 1,5 l de chá por dia, porque não sou apreciadora de água. A contagem calórica sinceramente não me preocupa muito, já se demonstrou que sobretudo não é o número de calorias ingeridas que importa, mas sim o tipo de calorias que se consome.
Pessoalmente costumo recorrer muito ao seu blog sobretudo
para procurar receitas de doces saudáveis. Costuma ter sempre uma preocupação
adjacente na escolha de ingredientes para as sobremesas? Por exemplo com a
escolha dos açúcares e das gorduras?
Sim, tenho bastante cuidado a escolher os ingredientes para as receitas. De facto tento sempre fazer receitas que a grande maioria das pessoas possa comer, quer tenham intolerâncias, ou sejam vegan, ou estejam a fazer algum regime especial. Para mim é muito importante que a sobremesa ou o bolo, ou as bolachas consigam ser saborosas mas que ao mesmo tempo tenham um menor impacto no nosso corpo em comparação com as receitas comuns.
Nesse sentido tento sempre usar adoçantes menos calóricos, com índices glicémicos mais baixos, mas ainda assim que mantenham a receita apelativa. Também tenho algum cuidado com a escolha das gorduras, na minha casa só entram óleos de origem biológica e não refinados. Não sou grande fã das margarinas, mesmo as de origem vegetal, por isso tento arranjar outras alternativas como o óleo de coco ou manteigas de frutos secos.
Muitas vezes as pessoas perguntam-me que tipo de
ingredientes podem usar quando são alérgicas ou intolerantes ao glutén, ao
leite e ao ovo. Tem alguns ingredientes chave que funcionem como substitutos?
Tem alguma receita favorita que contemple estas três alergias/intolerâncias?
Quando há intolerância a algum dos ingredientes mais comuns nas sobremesas , há que arranjar alternativas. Temos no entanto que ter em conta que são alternativas, por isso dificilmente ficarão iguais ao “original”, o que não significa que não seja bom! Por exemplo para substituir os ovos opto muito pelo puré de maçã ou iogurte ou sementes de chia hidratadas durante uns minutos.O leite e derivados podem facilmente ser substituídos por alternativas vegetais: de arroz, de seja, de aveia…
Quando o glúten é um problema então temos que optar por cereais e farinhas que não o contenham e aconselho a verificarem sempre o rótulo para ver se é realmente isento de glúten. Já existem à venda misturas de farinhas para pastelaria ou para fazer pão mas também podemos optar por fazer as nossas.
Eu pessoalmente gosto muito de usar farinha de trigo sarraceno, farinha de aveia (certificada), ou as farinhas de frutos secos. São farinhas mais nutritivas e com índices glícémicos mais baixos em comparação com as féculas e amidos muito utilizados por quem tem restrição em relação ao glúten.
Eu adoro crumbles e acho que são sobremesas muito leves ou até um pequeno almoço diferente, por isso sugiro um crumble de pêra e mirtilos. Não contem lacticínios, ovos ou glúten. Adoçado ligeiramente com um pouco de xarope de ácer ou geleia de agave é perfeito para terminar uma refeição.
 
Sente que as tendências alimentares têm vindo a mudar ao
longo do tempo e que a procura por um estilo de alimentação saudável é maior?
Ou acha que os hábitos alimentaresdos portugueses ainda têm muito a corrigir?
Felizmente os hábitos alimentares dos portugueses têm vindo a mudar. Nestes últimos anos nota-se uma maior preocupação com a qualidade e a origem dos alimentos que escolhem,  preocupam-se muito mais com o peso e com a sua saúde em geral. Finalmente começaram a usar a marmita e a levar os lanches de casa e se comem fora optam muito por refeições leves e simples.
 
Que tipos de alimentos costumam andar na sua lancheira para
os lanches da manhã e da tarde?
Na minha marmita há sempre fruta e normalmente barrinhas de cereais e frutos secos que faço em casa, ou crackers de sementes que adoro. Como tenho alguma tendência para comer pouco de cada vez e adoro comida crocante, as granolas caseiras são uma constante no meu local de trabalho. Coloco num frasco e tiro sempre que quero trincar alguma coisa.
De uma forma geral, os produtos que usa no seu dia-a-dia são
fáceis de encontrar?
Hoje em dia os produtos menos comuns como algumas farinhas e adoçantes já são muito fáceis de encontrar, as grandes superfícies e as lojas de produtos naturais já fornecem quase tudo. Quando temos mais dificuldade em encontrar alguma coisa também já existem muitas lojas online especializadas.
Que receita saudável sugere aos nossos leitores?
 
Biscoitos de Aveia e maçã
Para cerca de 16 bolachas
Informação nutricional aproximada por bolacha: 86Kcal; 12.7g de HC; 2.9g de Lípidos; 0.4g de Proteína
100g flocos de aveia finos
90g de farinha de aveia
30g de óleo de coco derretido
1 ovo
125g de maçã ralada
90 ml de geleia de agave ou de arroz
1 colher de chá de aroma de baunilha
1 pitada de sal fino
1 e 1/2 colher de chá de canela em pó
1/2 colher de chá de fermento
Ligue o forno a 170ºC.
Misture numa tigela os flocos de aveia, a farinha, a canela, o fermento e o sal.
Noutra tigela misture o óleo de coco, a geleia de agave ou de arroz, o ovo e a baunilha.
Junte o conteúdo das duas tigelas.
Coloque pequenas porções de massa num tabuleiro forrado com papel vegetal e achate-as ligeiramente. Leve ao forno durante 15 a 20 minutos até os biscoitos começarem a ficar dourados.
Retire e deixo-os arrefecer ainda no tabuleiro.Guarde numa caixa bem fechada.
0 Comentários

Deixar Comentário