Truques para uma alimentação saudável sem gastar muito dinheiro no supermercado

Este é um daqueles temas que é amplamente debatido por todo o mundo. Seja quando se fala na restauração ou quando se pensa no que comprar no supermercado, é difícil afirmar que uma alimentação saudável e equilibrada pode ter o mesmo preço que uma alimentação com menos cuidados. Confesso que, quando penso nisso, fico sempre frustrada e sensibilizada porque, por muito que incentive à pratica de uma alimentação equilibrada, natural e pouco processada, vejo que isso pode ser um desafio em alguns meios familiares. E mesmo nos ambientes em que isso deveria ser uma condição, não existe este cuidado. Este fim de semana estive num congresso de medicina ortomolecular e anti-aging e o coffee break era maioritariamente composto por folhados e bolinhos; o mesmo acontece no congresso da associação portuguesa de nutricionistas e em tantos outros. Podem até existir algumas opções melhores como fruta e iogurte com granola mas pergunto-me, se o objetivo é desencorajar o consumo de gordura saturada e açúcar, por que é que essas continuam a ser as presenças mais assíduas neste género de eventos? Não seria mais coerente investir um pouco mais nestes eventos e servir uma refeição que vai de encontro ao que é falado? Fica a ideia 🙂

Mas aproveitando esta minha frustração lembrei-me de vos escrever algumas dicas práticas de como podem praticar uma alimentação saudável em casa. Apesar de eu escolher praticamente todos os alimentos de origem biológica (que têm um custo acrescentado), essa é uma escolha pessoal minha que vai de encontro ao facto de eu acreditar que todas as toxinas que nós colocamos no nosso corpo produzem um efeito negativo, seja ele a curto ou médio prazo, e sejam essas toxinas permitidas por lei ou não (como é o caso dos medicamentos, conservantes, adoçantes, aromatizastes, pesticidas, fungicidas e afins). Como nem todos fazemos esta escolha, hoje (pondo de parte a publicidade) todos os preços que coloquei aqui foram tirados do site do continente online e não de uma loja de produtos biológicos.

Vamos então às dicas:

Acho que esta comparação vos mostra que, no fundo, a regra de ouro é comprar por inteiro, o menos processado possível e, sempre que conseguirem, avulso. Além de pouparmos, conseguimos ser mais conscientes a nível ambiental e causar menos pegada ecológica. Espero ter-vos ajudado e que achem estas dicas práticas e fáceis de implementar 🙂

As fotografias são do meu livro, tiradas pela maravilhosa Cv Love  as Loiças da Cerâmicas na Linha 

0 Comentários

Deixar Comentário