5 dicas para o ajudar a controlar as porções alimentares

Muitas vezes questionamo-nos se as quantidades que comemos são as mais adequadas para as nossas necessidades. Será que posso comer mais que uma colher de arroz? Quantas batatas? Quantas amêndoas?  É por isso que pesar ou ter noção as medidas caseias (ex: quanto pesa uma colher de sopa de aveia), nos ajuda a visualizar melhor as calorias que estamos a ingerir. A verdade é que, muitos de nós, e até eu, olho para uma taça de cereais servida sem pesar com a quantidade que eu considero que me vai saciar, e para uma taça de cereais servida com as porções exatas e acho que alguém está doido em recomendar apenas 40g de cereais!! Mas, a verdade é que controlar as quantidades é meio caminho andado para controlar as calorias ingeridas e o peso.

A vantagem de controlarmos também a quantidade das porções que ingerimos é que começamos a habituar-nos e a sentir menos fome e menos necessidade de petiscar ao longo do dia. Mas como isto não é um processo assim tão simples de fazer na prática, aqui ficam as minhas sugestões para conseguirem ser mais bem sucedidos e controlarem as quantidades do que andam a comer ao longo do dia.

1.Comer em pratos mais pequenos.

Eu sei que pode parecer um bocado obvio mas um prato pequeno cheio é tão bom à vista como um prato grande cheio e conseguimos comer muito menos com a mesma sensação de saciedade. Experimentem comer em pratos de sobremesa ou taças mais pequenas (para os cereais de pequeno-almoço por exemplo).

2. Comer mais devagar.

E vocês pensam, outra vez a conversa do comer mais devagar, perco 30 min na fila do restaurante, o resto tem que ser a correr para almoçar. Certo, mas isso é só numa refeição do dia e ao jantar o sofá não vai a lado nenhum, têm tempo. Se o pequeno-almoço é sempre a correr dividam-no, comam uma parte em casa e outra quando chegam ao escritório. Nós demoramos uns 20 min desde que começamos a comer até nos sentirmos satisfeitos. Se almoçarmos em 15 min o nosso cérebro ainda nem sabe que ja está a comer e nós já estamos a pedir uma sobremesa porque o prato não nos deixou saciados.

3.Arrume bem o prato.

O prato de refeição deve ser distribuído da seguinte forma: 50% legumes, 25% carne/peixe/ovos/tofu/leguminosas, 25% arroz/batata/massa/quinoa/millet etc… Por isso, devemos procurar respeitar sempre esta porção, conseguindo assim ocupar “espaço” com legumes que têm pouca densidade energética, e assim ter menos calorias em cada prato e consumir menos dos que é menos interessante como o arroz, a batata e as massas.

4.Coma porções mais pequenas, mais vezes ao dia.

Quase todas as pessoas que vêm às minhas consultas saltam refeições, sobretudo o lanche da tarde. Seja por falta de tempo, por desorganização, porque se colocam outras coisas no meio, tudo é um pretexto para chegar a casa cheio de fome e com vontade de atacar o armário das bolachas ou o saquinho do pão para as sandes da escola dos miúdos. Portanto desengane-se se acha que bom mesmo é comer menos. O ideal é comer mais vezes ao dia, em porções mais controladas.

5.Beba água.

Outro erro crasso de quem é seguido nas consultas de nutrição, quando começam o plano a maior parte das pessoas não bebe mais que um ou dois copos de água por dia. Ora, muitas vezes nós confundimos fome com sede, por isso é essencial que beba água ao longo do dia para que obtenha a tão desejada sensação de saciedade

0 Comentários

Deixar Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.