Três maneiras de alimentar o cérebro

É possível alimentar o nosso cérebro de diversas formas. Uma delas, a mais óbvia, é com alimentos saudáveis, que contribuem não apenas para a saúde do corpo, mas também para a da mente. Já falei anteriormente sobre o que implementar e o que evitar na alimentação para cuidar do cérebro e também do estado de espírito.

Porém, há muitos outros hábitos que contribuem para a saúde cerebral e que estimulam a capacidade cognitiva, a memória e a concentração. Tome nota de alguns deles, a seguir, e coloque-os em sua rotina.

1. Atividades físicas

https://cms.ics-digital.com/ckeditor_assets/pictures/29436/content_running-573762_1280.jpg Fonte:Pixabay.com

Há uma série de estudos que demonstram os benefícios da prática de atividades físicas para o cérebro. Eles vão da prevenção de doenças como o Alzheimer até o combate à depressão, do estímulo cognitivo ao bem-estar psicológico. Uma pesquisa publicada na revista académicaDevelopmental Neurorehabilitationchega mesmo a chamar a atividade física de “brain food” (comida do cérebro).

De crianças a idosos, a prática regular de atividades físicas contribui para a saúde do cérebro. Fazer pequenas mudanças na rotina, como trocar o elevador pelas escadas e não passar muito tempo sentado, já auxilia o desempenho cognitivo e a prevenção de doenças. No entanto, comprometer-se com atividades regulares, como caminhadas ou exercícios no ginásio, é ainda mais recomendável.

2. Lazer estimulante

https://cms.ics-digital.com/ckeditor_assets/pictures/29437/content_cards-1030852_1280.jpg

Fonte:Pixabay.com

É possível “alimentar” o cérebro e divertir-se ao mesmo tempo. Muitas atividades de lazer são benéficas para a capacidade cognitiva, a memória e a concentração. Diversas pesquisasmostram que atividades estimulantes, como ler, jogar jogos, resolver palavras-cruzadas e tocar instrumentos musicais, estão associadas a um menor risco de desenvolver demência.

Atualmente, praticar atividades benéficas para o cérebro é algo que está a um clique de distância. Com os livros digitais e tantos jogos on-line – como as palavras-cruzadas, o xadrez e até mesmo os jogos de casino e as apostas desportivas, disponíveis, por exemplo, no site Galobonus–, é fácil e divertido treinar o cérebro.

3. Meditação

 

https://cms.ics-digital.com/ckeditor_assets/pictures/29438/content_meditate-1851165_1280.jpg

Fonte: Pixabay.com

Assim como a Internet nos oferece muitas opções para jogar on-line, treinar e estimular o cérebro, ela também dá-nos uma série de alternativas para relaxar e acalmar a mente. Muitos appssão dedicados ao relaxamento e alguns podem ajudar-nos a dormir. Também há apps que ensinam a meditar, como o Medite.se.

A ciência já provouque a meditação é eficaz no combate ao estresse e à insônia, além de ajudar a prevenir distúrbios mentais, como a depressão e a esquizofrenia. Ela também estimula a capacidade de concentração e a memória. Ademais, uma pesquisademonstrou que os benefícios da meditação duram sete anos após o fim de uma prática intensiva.

Se só dispõe de alguns minutos por dia para dedicar a essa atividade, não faz mal. Um outro estudoconcluiu que a frequência e a duração da prática meditativa influenciam, de facto, os resultados positivos oferecidos pela meditação. Contudo, mesmo indivíduos que dedicavam menos tempo à atividade relataram benefícios emocionais, cognitivos, físicos e sociais. A média de tempo dedicado à meditação pelos participantes da pesquisa foi de 35 minutos por dia, quatro vezes por semana.

Com um pouco de disciplina, é possível adicionar essas atividades à nossa rotina e alimentar o cérebro de forma saudável. Basta tirar alguns minutos das redes sociais e da televisão e, no lugar, colocar esses bons alimentos para a mente.

0 Comentários

Deixar Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.