Existirá uma melhor farinha para utilizar num processo de emagrecimento?

Existirá uma melhor farinha para utilizar num processo de emagrecimento?

Uma das estratégias nutricionais usadas num processo de emagrecimento é a redução da ingestão de hidratos de carbono, sejam eles de rápida absorção, como os açúcares, ou hidratos de carbono complexos, como as farinhas provenientes dos cereais. As farinhas estão presentes em diversos produtos alimentares e receitas. É utilizada na confeção de pão, bolos, bolachas e, inclusive, em papas.

Para substituir as farinhas provenientes de cereais, como a farinha de trigo, centeio, milho e até aveia, muitas pessoas utilizam farinhas provenientes de coco, de frutos oleaginosos (amêndoa, avelã, entre outros), de sementes ou de pseudo-cereais (quinoa, trigo sarraceno, entre outros). Mas será que estas são mais vantajosas que as outras?

Para uma perda de peso é necessário que se promova um balanço energético negativo, ou seja, as calorias consumidas têm de ser menores que as calorias que se gastam, independentemente de qual ou quais os macronutrientes que diminuamos para que isso aconteça.1

Ao analisarmos 15 tipos de farinha ( trigo, centeio, milho, espelta, arroz integral, tapioca, trigo-sarraceno, aveia, teff, grão-de-bico, alfarroba, quinoa, amêndoa, linhaça, coco), a menos calórica é a farinha de trigo sarraceno, seguido da farinha de trigo e as mais calóricas são a farinha de amêndoa de linhaça e coco.2,3 O elevado valor calórico destas últimas 3 farinhas deve-se ao facto de serem ricas em gordura, sendo que a farinha de coco tem também um teor elevado de gordura saturada. 2,3Assim, se considerarmos que a estratégia para perda ponderal de uma determinada pessoa é através da redução do teor de gordura, será benéfico que esta evite utilizar estas duas últimas farinhas, dando preferência à farinha de alfarroba ou centeio, por exemplo. 

Porém, se a restrição calórica for através da redução de hidratos de carbono, ou seja, uma dieta “low-carb”, seria benéfico evitar farinhas mais ricas nestes, como a de tapioca (a que apresenta maior teor de hidratados), alfarroba, centeio, milho ou trigo e privilegiar uma farinha que tenha um teor médio de gordura, como a de trigo-sarraceno, quinoa e grão-de-bico, pois também têm um valor baixo de hidratos de carbono, ou atém por uma farinha com um teor elevado de gordura como o exemplo da farinha de amêndoa. 2,3Nunca esquecendo que o que promove a perda de peso é a restrição calórica ao longo do dia e não especificamente a restrição de hidratos de carbono.

Uma vez que a fibra ajuda a promover maior saciedade, o seu teor nas farinhas pode ser um aliado para que o apetite da pessoa esteja mais regulado.4Assim, as farinhas que mais se destacam por ter um valor de fibra mais elevado são as de coco, linhaça seguidas das de grão-de-bico, amêndoa e trigo-sarraceno. Em contrapartida, a farinha de tapioca é a que tem menor teor de fibra, o que faz com que este tenha um índice glicémico superior. 2,3

Assim, como a fibra, a consumo de proteína também está associado a uma maior saciedade. As farinhas com um teor proteico mais elevado são as de linhaça, grão, amêndoa e aveia. 2,3

Eleger uma farinha que pudesse ser uma ótima aliada num plano de emagrecimento dependerá da estratégia utilizada e claro, de toda a alimentação diária da pessoa e das suas preferências. 

Tipo de farinhaTeor de gordura (g/100g)Teor de hidratos de carbono (g/100g)Teor de fibras (g/100g)Teor de proteína (g/100g)
Farinha de trigo0,976,32,710,3
Farinha de arroz0,780,04,06,0
Farinha de aveia7,357,05,714,5
Farinha de centeio1,277,39,47,8
Farinha de espelta2,869,63,713,0
Farinha de trigo sarraceno3,160,610,012,6
Farinha de quinoa6,157,27,113,9
Farinha de milho1,278,92,25,2
Farinha de cevada2,564,47,68,8
Farinha de trigo integral1,972,612,213,7
Farinha de centeio integral1,376,011,79,0
Farinha de espelta integral1,664,09,011,5
Tapioca0,287,51,70,3
Farinha de Teff2,465,18,013,3
Farinha de arroz integral2,871,94,67,2
Farinha de alfarroba0,385,65,03,2
Farinha de grão de bico6,747,010,822,4
Farinha de coco14,321,435,714,3
Farinha de linhaça31,018,118,025,0
Farinha de amêndoa50,38,710,820,9
Farinha de chia40,04,123,521,5
Farinha de tremoço12,09,217,140,3
Farinha de avelã62,48,29,415,0
Farinha de banana2,088,110,04,1
Farinha de mandioca0,976,02,710,2
Farinha de amendoim14,015,414,048,0
Farinha de batata0,770,013,07,7
Farinha de amido de milho0,587,00,50,6

Artigo escrito por Rafaela Teixeira e Clara Magalhães Dias, Nutricionistas

Referências:

1.       Freire R. Scientific evidence of diets for weight loss: Different macronutrient composition, intermittent fasting, and popular diets. Nutrition. 1 de Janeiro de 2020;69. 

2.       Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge. Tabela da Composição de Alimentos [Internet]. [citado 14 de Janeiro de 2020]. Disponível em: http://portfir.insa.pt/foodcomp/foodcompare?foodId=11857&foodId=11756&foodId=11826&foodId=11856&foodId=11128

3.       Database Licensing – NCC: Nutrition Coordinating Center [Internet]. [citado 26 de Abril de 2020]. Disponível em: http://www.ncc.umn.edu/food-and-nutrient-database/

4.       Hassanzadeh-Rostami Z, Faghih S. Effect of Dietary Fiber on Serum Leptin Level: A Systematic Review and Meta-Analysis of Randomized Controlled Trials. Exp Clin Endocrinol Diabetes. 11 de Dezembro de 2019; 

5.       Magnésio • PNPAS [Internet]. [citado 26 de Abril de 2020]. Disponível em: https://alimentacaosaudavel.dgs.pt/nutriente/magnesio/

6.       Martínez-Villaluenga C, Peñas E, Hernández-Ledesma B. Pseudocereal grains: Nutritional value, health benefits and current applications for the development of gluten-free foods. Vol. 137, Food and Chemical Toxicology. Elsevier Ltd; 2020. 

Submeter comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

ENTRETANTO NA NiT