S01EP26 – Entrevista Filipa Maló Franco – As redes sociais e a pressão para a perfeição

S01EP26 – Entrevista Filipa Maló Franco – As redes sociais e a pressão para a perfeição

Psicologa, autora do site Terra Maya e de 2 livros, a Filipa Maló Franco defende que não devemos procurar a felicidade a 100% mas sim um equilíbrio entre mente, corpo e alma. É a minha convidada de hoje e falámos sobre a pressão para uma vida perfeita. Com as redes sociais cada vez mais presentes no dia a dia dos nossos seguidores, a sensação de pressão para a sustentabilidade, redução do desperdício, alimentação saudável, exercício fisico, imagem/estilo e até para uma vida feliz e perfeita aumentou consideravelmente. 

            Todas estas pressões estão a criar uma geração obcecada com o bem-estar, a felicidade, os propósitos, com a ideia de que temos de ser perfeitos, muito por culpa das redes sociais. No entanto, a realidade é que se chega mais facilmente lá se aceitarmos que a felicidade não é constante, que o bem-estar não significa ausência de mal-estar e que o essencial é haver um equilíbrio. Na nutrição, há cada vez mais pessoas a querer atingir uma alimentação perfeita, guiando-se por informações erradas e todo o marketing usado na alimentação e consumo, gerando até comportamentos obsessivos, como a ortorexia. É por isso importante saber apelar a certas mudanças, mas tendo em conta que não existe a perfeição, que não é preciso haver extremos, pois as pessoas acabam a procurar algo inalcançável, nunca aceitando o presente como algo bom e criando mais angústia do que felicidade.

            Trabalhar a nossa saúde mental e motivação é um dever, pois vai influenciar tudo o resto à nossa volta. É preciso começar a normalizar ir ao psicólogo. Por vezes, usamos “ferramentas” que nos fazem sentir bem no momento e esconder todas as emoções, mas a longo prazo não são a melhor solução. A compulsão alimentar vem, na maioria das vezes, de uma questão emocional, em que é necessário parar e refletir o que realmente estamos a sentir e libertar essas emoções. Existe também o sentimento de culpa associado à alimentação, muitas vezes devido a dietas restritas, contudo, o mais importante é saber manter uma relação saudável com a comida, saber procurar o apoio de um profissional de saúde e ter flexibilidade para aceitar e adaptar.

            Existem vários sinais a que devemos estar atentos para saber quando pedir ajuda, mas para isso é preciso haver um autoconhecimento e um autodesenvolvimento.

Espero que gostem!

Submeter comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

ENTRETANTO NA NiT