Digestões pesadas, refluxo gástrico, enfartamento e dilatação abdominal, que alimentos escolher?

Digestões pesadas, refluxo gástrico, enfartamento e dilatação abdominal, que alimentos escolher?

As queixas relacionadas com má digestão, também chamada de dispepsia são muito comuns e podem ser de causa orgânica, ou seja, são causadas por outras doenças do tubo digestivo, ou de causa funcional, em que não existe qualquer outra doença associada. Independentemente da causa, os hábitos alimentares e o estilo de vida têm sempre um grande impacto na digestão e apesar de não existir um tratamento definitivo para quem sofre de indigestão, esta pode ser evitada. 

Hábitos associados a problemas de digestão:

– Comer e beber muito depressa e/ou em quantidades excessivas; 

– Ingerir frequentemente alimentos muito condimentados (ex: picantes), ou ricos em gordura (ex: fritos); 

– Consumo excessivo de cafeina e álcool; 

– Consumo excessivo de refrigerantes e bebidas com gás; 

– Fumar; 

– Níveis elevados de stress.

            Os sintomas incluem desconforto abdominal, dores na parte superior do abdómen, dilatação abdominal, saciedade precoce, libertação de gazes, náuseas, vómitos. A indigestão não apresenta normalmente complicações graves, no entanto, quando não é tratada prejudica a qualidade de vida do doente. 

            O tratamento destes problemas prende-se sobretudo com a mudança de hábitos de estilo de vida, tais como:

– Praticar uma alimentação saudável e equilibrada que inclua fruta, legumes e cereais preferencialmente integrais;

– Diminuir o consumo de alimentos que dificultem a digestão como os pratos condimentados, alimentos fritos, molhos, carnes com um maior teor de gorduras, produtos de charcutaria, alimentos muito processados (ex: fiambre, bolachas);

– Diminuir o consumo de bebidas com gás, bebidas alcoólicas e café que são irritantes para a mucosa do nosso trato digestivo;

– Evitar qualquer tipo de alimentos que identifique como exacerbantes dos sintomas;

– Realizar refeições de pequeno volume, em ambiente calmo, mastigar os alimentos devagar e acompanhar com pequenas quantidades de água;

– Evitar sentar, deitar ou fazer esforços físicos muito intensos logo após a refeição;

– Praticar exercício físico com regularidade ajuda a melhorar a digestão, a controlar os níveis de stress e a gerir o peso;

            Por vezes pode ser necessário recorrer a medicação para gerir os sintomas relacionados com a indigestão, no entanto existem alguns alimentos e suplementos alimentares que podem também ajudar.

            A suplementação com probióticos é muito utilizada em casos problemas a nível intestinal, quando existe um desequilíbrio das bactérias do microbioma, mas de acordo com os estudos realizados uma suplementação com probióticos lactobacilluspode ser utilizada em conjunto com a medicação para o tratamento de infeções a nível do trato digestivo e pode contribuir para o alívio de sintomas como dores de estomago, pelo que pode ser útil em casos de problemas digestivos.2

Ogengibre, apesar de pouco estudado é muito utilizado na medicina asiática para o tratamento de dores de estomago, diarreia e náuseas. Poderá facilmente encontrar raiz de gengibre fresca em supermercados e esta pode ser utilizada como condimento em preparações culinárias ou em bebidas3.

Alguns estudos indicaram que o óleo de hortelã pimenta combinado com óleo de cominhopode ser útil no alívio dos sintomas de indigestão, mas essa evidência ainda é preliminar e é necessário desenvolver um maior número de estudos para verificar os reais benefícios4. O extrato de folhas de alcachofratambém foi estudado pelas suas propriedades digestivas e um estudo demonstrou uma melhoria nos sintomas e um aumento da qualidade de vida de pacientes com dispepsia5.  

Artigo escrito por Filipa Rodrigues, Nutricionista

Referências

  1. Mahan, L. K., & Raymond, L. J. (2017). Krause’s Food & The Nutrition Care Process(Vol. 51). https://doi.org/10.1016/j.jneb.2019.06.022
  2. U.S. National Library of medicine (2020). Medline Plus – Herbs and supplements- Lactobacillus. Retrived from https://medlineplus.gov/druginfo/natural/790.html
  3. U.S. National Library of medicine (2020). National center of complementary integrative health – Ginger. Retrived from  https://www.nccih.nih.gov/health/ginger
  4. U.S. National Library of medicine (2020). National center of complementary integrative health – peppermint oil. Retrived fromhttps://www.nccih.nih.gov/health/peppermint-oil
  5. Ben Salem, M., Affes, H., Ksouda, K., Dhouibi, R., Sahnoun, Z., Hammami, S., & Zeghal, K. M. (2015). Pharmacological Studies of Artichoke Leaf Extract and Their Health Benefits. Plant foods for human nutrition (Dordrecht, Netherlands)70(4), 441–453. https://doi.org/10.1007/s11130-015-0503-8

Submeter comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

ENTRETANTO NA NiT