Nutrientes mais importantes para o homem

tosta saudável

Nutrientes mais importantes para o homem

Quando o tema é saúde, sabemos que geralmente o homem não é tão cuidadoso e tendencialmente tarda em procurar ajuda para problemas que possam aparecer.

A situação pandémica de covid-19 tem evidenciado algumas disparidades nas doenças, entre homens e mulheres.

O sexo é um fator de risco para determinadas doenças, sendo que algumas são mais prevalentes nos homens, como é o caso da diabetes mellitus tipo 2, das doenças cardíacas e da depressão. Segundo as estatísticas, os homens revelam ter mais problemas de saúde mental, com taxas de suicídio mais elevadas também, o que revela uma grande necessidade de dar importância a este tema, que é muito pouco abordado no mundo masculino. Uma grande parte da população não procura ajuda quando se trata de problemas relacionados com a saúde mental, sobretudo quando se trata dos homens. De um modo geral, o homem recorre pouco aos serviços de saúde e são menos propensos a conhecer os sintomas de doenças graves que, em muitos casos, precisam de ser detetadas precocemente. É preciso agir no sentido de se reduzir o estigma nos homens em falar sobre certas questões, e também de aumentar a compreensão da importância da alfabetização em saúde.

A esperança média de vida é superior hoje em dia, comparativamente às gerações anteriores, no entanto, encaramos um cenário de maior frequência de doenças não transmissíveis e relacionadas com uma grande diversidade de fatores de risco ambientais. 

O estilo de vida do homem tem sofrido vários processos de alteração com o passar das gerações, quer a nível de trabalho, quer a nível social, e embora o homem mais jovem esteja mais consciencializado dos riscos para a saúde, estão também menos seguros do seu lugar na sociedade e isso pode trazer implicações, como ansiedade, doenças do foro psicológico, e que por sua vez, se traduzem em doenças físicas.

Diz-se que o Homem vive mais anos devido à evolução científica, medicinal e de infraestruturas, que é uma das características dos dias de hoje, mas será que vive mais saudável?

Tradicionalmente, os homens têm estilos de vida menos saudáveis e, embora os conselhos gerais de saúde sejam semelhantes para homens e mulheres, existem algumas necessidades e preocupações muito específicas a serem observadas em relação à saúde masculina.  

Prespetiva Nutricional – orientações

De uma perspetiva nutricional, existem alguns pontos onde é possível atuar, relativamente a nutrientes que o homem deve ter em conta, e que atuam indiretamente na prevenção das doenças anteriormente mencionadas.

O organismo necessita de uma variedade de nutrientes para a sua funcionalidade ótima, por isso é importante incentivá-los a ter uma dieta do mais variado e nutritiva possível, onde se possa incluir boas fontes de proteína, quer de origem vegetal, quer de origem animal, como ovos, carnes magras, peixe selvagem, tofu, sementes, leguminosas; gorduras boas, sobretudo azeite (abacate, frutos secos, sementes); incluir cereais integrais e frutas e hortícolas. É também, importante garantir a maior diversificação de vegetais ricos em antioxidantes e fitonutrientes.

No que diz respeito aos nutrientes (vitaminas, minerais, enzimas), podemos considerar os seguintes:

Selénio –é um oligoelemento essencial, componente de múltiplas enzimas antioxidantes, que tem sido associado a fatores preventivos do cancro da próstata. Está presente em alguns frutos secos como a castanha do brasil e as nozes; peixe, carne, ovos, alho, sementes, cebolas, brócolos, repolho e cogumelos.

Zinco –é um mineral essencial com um papel importante na fertilidade masculina. Atua na produção de testosterona e na resposta imunológica. Alguns estudos mostram que a deficiência de zinco pode estar associada a baixos níveis de testosterona, qualidade de esperma, e, consequentemente, aumentar o risco de infertilidade. Pode ser encontrado em essencialmente em pescado, carne e ovos.

Magnésio –está envolvido em vários processos metabólicos e quando está em falta, pode aumentar o risco de doenças cardíacas. Estudos referem que a maioria dos homens consume apena cerca de 80 % da dose diária recomendada deste mineral, de forma que a sua suplementação poderá fazer sentido em certos casos.

Vitamina D3 –é muito importante na modulação do sistema imunológico e pode atenuar a resposta inflamatória. 

Vitamina C– além de ter um papel importante na imunidade, também pode ajudar a melhorar a fertilidade, principalmente em homens que sofrem de altos níveis de stress oxidativo. As evidências sugerem que os suplementos de vitamina C podem até melhorar a qualidade do sémen.

Coenzima Q10– é importante na produção de ATP, necessária para fornecer energia aos músculos, incluindo o coração. A sua maior concentração está no coração, que vai diminuindo com a idade, podendo haver a necessidade de ser suplementada, mas sempre aquando do aconselhamento de um especialista, seja médico ou nutricionista.

Todas estas recomendações, aliadas à prática regular de exercício físico, e qualidade do sono, são a base de um estilo de vida saudável, e que deve ser levado em conta pelo homem. É importante relembrar que uma grande parte das doenças referidas podem ser prevenidas muitas vezes, ou detetadas precocemente, evitando os piores desfechos. Assim sendo, o homem deve estar atento aos sinais das doenças, conhecer as necessidades do seu corpo e zelar pela sua saúde física e mental, que será a chave para sua longevidade.

Artigo escrito por Tânia Santos, Nutricionista

Referências Bibliográficas

Malta, D.C., Reis, A.A.C.dos, Jaime, P.C., Morais,N.O.L., Silva, M.M.A., Alkerman, M.(2018).  O  SUS e  a  Política Nacional  de  Promoção da  Saúde:  perspectiva resultados, avanços   e   desafios  em   tempos   de  crise.Ciência   &   Saúde  Coletiva,23(6),   1799-1809.

Medeiros, A.C., Oliveira, K.L., Fassarella, L.G., Moraes, P.C., Spindola, T.(2020).Vulnerabilidade  de  homens jovens  e  suas necessidades  de  saúde.Escola Anna Nery,24(1), e20190203.Recuperdo dehttps://doi.org/10.1590/2177-9465-ean-2019-0203Minayo,  M.C.S. (2013). O  desafio  do conhecimento:  Pesquisa  qualitativa em  saúde.  São Paulo. São Paulo: Hucitec. 

            Modesto, A. A. D. A., Lima, R. L. B. D., D’Angelis, A. C., & Augusto, D. K. (2017). Um.novembro não tão azul: debatendo rastreamento de câncer de próstata e saúde do homem. Interface-Comunicação, Saúde, Educação.

Pereira, J., Klein, C., & Meyer, D. E. (2019). PNAISH: uma análise de sua dimensão educativa na perspectiva de gênero. Saúde e Sociedade28, 132-146.

Schröder FH, Hugosson J, Roobol MJ, Tammela TLJ, Zappa M, Nelen V, et al. Screening and prostate cancer mortality: results of the European Randomised Study of Screening for Prostate Cancer (ERSPC) at 13 years of follow-up. Lancet. 2014; 384(9959):2027-35. 

Separavich, M.Antonio.,& Canesqui, A.Maria. (2013). Saúde do homem e masculinidades na    Política   Nacional    de    Atenção   Integral    à    Saúde   do    Homem:    uma   revisão bibliográfica. Saúde e    Sociedade,22(2),   415-428. 

Tabela da Composição de Alimentos (TCA). (2015). Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, Lisboa. Consultado a 4 de março de 2019. Disponível em: http://portfir.insa.pt/

Submeter comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

ENTRETANTO NA NiT