Como escolher salmão fumado

Linguini de curgete com salmão fumado e tomate cereja

Como escolher salmão fumado

O salmão tem inúmeros benefícios pois é um peixe gordo rico em ómega-3. Visto que é um peixe gordo, o seu consumo diário é desaconselhado, pelo que o ideal é uma vez por semana para garantir o aporte de ómega-3.

Existem inúmeras maneiras de confeccionar o salmão e inúmeras conjugações de ingredientes que podemos fazer para aumentar o seu consumo. O essencial é conseguiraproveitar ao máximo os seus benefícios.

Através do ómega-3 é possível fazer a digestão, absorção e transporte de um grupo de vitaminas, as lipossolúveis, e outros componentes dos alimentos. Com o consumo de ómega-3 verifica-se um bom desenvolvimento cerebral, logo, um bom aporte de ómega-3 é sinónimo de uma estratégia de proteção do declínio cognitivo.

Como funciona o método para obter este produto?

Desde há muitos séculos que existem diferentes modos de conservar a carne e o peixe. É costume usar o processo de cura/defuma, entre outros. Também é habitual utilizar sal, ervas aromáticas e açúca rpara conservar melhor os ingredientes.

Tal como o nome indica, o método utilizado para obter salmão fumado é através do fumo. É importante referir que o fumo tem compostos que são prejudiciais à saúde e como tal devemos evitar o consumo dos mesmos. O aconselhado é um consumo esporádico de salmão fumado, pois existem outras formas de consumir salmão menos prejudiciais.

Como conservar?

É importante respeitar as instruções que aparecem nas embalagens do produto comprado. O ideal para evitar o crescimento de bactérias é abrir a embalagem e comer logo o produto, mas isto não é viável nem aconselhado quando é apenas uma pessoaa consumir.

Deve-se então respeitar o produto e conservá-lo da mesma forma como veio. É necessário envolver o mesmo em papel vegetal ou película aderenteconservá-lo no frigorífico. Isto quando não existem instruções na embalagem do produto.

O que ter em atenção?

De acordo com a Autoridade Europeia de Segurança Alimentar (EFSA), a Listeria monocytogenes tem sido detetada em produtos como peixes, carnes e queijos prontos para consumo, pois não são submetidos a qualquer tratamento térmico imediatamente antes de serem consumidos.

A Comissão Europeia permite que o salmão fumado tenha um prazo de validade que pode ir até seis semanas, o que é um período excessivamente longo para um produto propenso ao desenvolvimento de Listeria.

Como escolher?

  • Ler a lista de ingredientes – quanto mais salmão melhor.
  • Rejeitar os produtos com açúcar, tendo em conta que existem alternativas sem este.
  • Verificar a quantidade de sal colocada na tabela nutricional – varia muito consoante a marca. Pode variar de 0,83 – 8.7, sendo que a média é 3 g de sal por 100g de produto.
  • Rejeitar as embalagens danificadas.
  • Rejeitar as embalagens cujo prazo se aproxima do seu fim.
  • Verificar o aspeto do salmão.
  • Comparar o teor de gordura saturada das diferentes opções.
  • Evitar listas de ingredientes longas. O ideal é ter os dois ingredientes que nunca variam, o salmão e o sal. 

Top 5 de salmão fumado através de uma análise de supermercados

Gostou deste tema? Leia este artigo  “Saiba quais são os melhores peixes”

Para um aconselhamento mais personalizado, agende a sua consulta de nutrição em https://zappysoftware.com/loveat

Artigo escrito por Inês Simões Alves (3671NE), Nutricionista Estagiária Loveat

Referências bibliográficas:

Adan, R. A. H., van der Beek, E. M., Buitelaar, J. K., Cryan, J. F., Hebebrand, J., Higgs, S., … Dickson, S. L. (2019). Nutritional psychiatry: Towards improving mental health by what you eat. European Neuropsychopharmacology. doi:10.1016/j.euroneuro.2019.10.011 

Canhada, S., Castro, K., Perry, I. S., & Luft, V. C. (2018). Omega-3 fatty acids’ supplementation in Alzheimer’s disease: A systematic review. Nutritional neuroscience, 21(8), 529–538.

Cederholm, T., Salem, N., Jr, & Palmblad, J. (2013). ω-3 fatty acids in the prevention of cognitive decline in humans. Advances in nutrition (Bethesda, Md.), 4(6), 672–676.

Hosker, Daniel K.; Elkins, R. Meredith; Potter, Mona P. (2019). Promoting Mental Health and Wellness in Youth Through Physical Activity, Nutrition, and Sleep. Child and Adolescent Psychiatric Clinics of North America, S1056499318306989–. doi:10.1016/j.chc.2018.11.010 

Martí Del Moral, A., & Fortique, F. (2019). Omega-3 fatty acids and cognitive decline: a systematic review. Nutricion hospitalaria, 36(4), 939–949.

Masana, M. F., Koyanagi, A., Haro, J. M., & Tyrovolas, S. (2017). n-3 Fatty acids, Mediterranean diet and cognitive function in normal aging: A systematic review. Experimental gerontology, 91, 39–50.

Swanson, D., Block, R., & Mousa, S. A. (2012). Omega-3 fatty acids EPA and DHA: health benefits throughout life. Advances in nutrition (Bethesda, Md.), 3(1), 1–7.

Submeter comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.