Alimentação Saudável

A alfarroba é o fruto da alfarrobeira. Desde a antiguidade que esta integrou a alimentação de diversos povos e há indícios de que os romanos já mastigavam as suas vagens secas, muito apreciadas pelo seu sabor adocicado. Graças a este sabor adocicado e à sua cor acastanhada, a alfarroba tem vindo a afirmar-se como uma alternativa saudável ao cacau. A alfarroba tem baixo teor de gordura (0.3g por 100g), é rica em hidratos de carbono (85.6g por 100g) e tem um elevado teor em fibra (5.0g por 100g), apesar de este ser inferior ao do cacau. O seu teor em proteína

Atualmente existem várias espécies marinhas em perigo, porque são pescadas em grandes quantidades ou porque a pesca tem destruído o seu habitat natural. É um dever de todos, cuidarmos dos nossos oceanos e manter a sua sustentabilidade. Somos nós enquanto consumidores que temos o poder de voto, quando vamos às compras e naquilo que escolhemos trazer para casa. Assim, as nossas escolhas devem ser feitas de forma informada! O Instituto Português do Mar e da Atmosfera, criou o cartão S.O.S. Oceano, com listagem de espécies mais vulneráveis, demasiado exploradas ou cujos métodos de captura/criação não são adequados, causando impacto ambiental.  Por estas razões

Quando nos expomos ao sol, a radiação UV(B) atinge a nossa pele e existe uma molécula precursora do colesterol (dehidrocolesterol), que se transforma em vitamina D3. Esta vai associar-se a uma lipoproteína de forma a conseguir circular no nosso sangue. No fígado é convertida em calcifediol (clacidiol, 25-hidróxi-colecalciferol ou 25-hidróxi-vitamina D) uma pré-hormona, e no rim convertida em calcitriol (ou 1,25-dihidroxicholecalciferol) a forma ativa da vitamina D. Esta forma ativa vai atuar em diversos tecidos como uma hormona, regulando inúmeras funções em várias células do nosso corpo, tendo um papel muito importante na saúde óssea e imunitária.   É essencial uma boa manutenção dos valores

A diabetes mellitus é uma doença metabólica crónica, caracterizada pelo aumento dos níveis de açúcar no sangue – hiperglicemia – que pode ser provocada pela insuficiente produção ou eficácia da insulina. Conforme a causa, a diabetes pode ser dividida em tipo 1, tipo 2 ou tipo 3.              A diabetes tipo 1 afeta maioritariamente crianças e jovens, mas também pode aparecer na idade adulta. Pensa-se que seja de causa genética e, como não há produção de insulina, é necessária injeção. A diabetes tipo 2, já é bastante influenciada pelo estilo de vida, alimentação, stress, havendo uma maior predisposição para aparecer na idade

Salmão com molho de soja e gengibre Lombo de salmão com puré de batata doce e pistáchio Salmão recheado no forno Rolo de salmão com lima e gengibre Salmão no forno com molho de laranja e húmus Quiche de salmão e pimentos Rolinhos de primavera Poke de salmão Bagel de salmão proteíco Rolo de espinafres com queijo creme e salmão fumado Empada de salmão e espinafres Tártaro de salmão e guacamole Couscous com salmão fumado Salmão com legumes no forno Salmão com legumes e aromáticos Salmão grelhado com legumes e molho de alho e iogurte Salada de salmão e abacate Salmão com amêndoas Lasanha de courgete e salmão Wrap de salmão fumado Esparregado de kale com salmão Salmão com cuscuz e

Neste episódio tenho como convidada a Débora, nutricionista que acompanha a marca Iswari, uma marca, a meu ver, de referência no que toca a Superalimentos e, por isso, nos vem falar o que são Superalimentos, quais são estes alimentos, quais os seus benefícios e como introduzi-los na alimentação. Começamos por falar um pouco da Iswari, de como surgiu esta ideia e do seu crescimento ao longo dos anos. Esta é uma marca biológica e glúten-free, que tem como filosofia criar uma sintonia entre a saúde/bem-estar com a natureza, pois é de lá que retiramos tudo o que necessitamos.             Um superalimento é um alimento

Criar um diário alimentar onde escrevemos tudo do que comemos, pode parecer algo estranho, mas é extremamente útil! Quando registamos os alimentos que ingerimos, as horas a que o fizemos, quantas refeições diárias, tornamos mais consciente a nossa forma de nos alimentarmos e esta é uma oportunidade de reflexão e correção de erros.  Fazer registo semanal torna-se mais eficiente, o ideal é até que sejam várias semanas, de forma a que englobem os dias em que há exceções (fins de semana e feriados), em que pode haver desvios à rotina, com alguns abusos alimentares.  Esta pode ser uma ferramenta interessante, não só

Neste episódio irei comparar dois padrões alimentares, a dieta paleo comparada à plant based, que são por norma considerados um pouco extremistas, e desmistificar alguns conceitos dos mesmos.              Uma dieta paleo ou paleolítica é caracterizada pelo consumo de alimentos que eram consumidos na época paleolítica, ou seja, à base de frutas e legumes, carne, peixe e algumas sementes e frutos secos, limitando a ingestão de lacticínios, cereais, leguminosas e alimentos processados. Olhando de uma perspetiva geral, parece um conceito equilibrado e adequado, contudo, devemos ter em atenção que são retirados três grupos de alimentos, sendo dois deles bastante importantes para a

A minha convida neste episódio é mãe de três filhos, muito prática e, exatamente por isso, vem falar-nos de como organiza as refeições em casa, como é a dinâmica familiar entre fazer refeições para três crianças com gostos e experiências diferentes e como as educa a terem respeito pela sua saúde e alimentação. É verdade que cada família é uma família e tem a sua organização, mas o meu objetivo é que através deste episódio sintam alguma inspiração e vejam um outro lado daquilo que é a gestão familiar. Conta-nos do seu percurso e de como surgiram as suas redes sociais

ENTRETANTO NA NiT