Sobre

Loveat by Mafalda Rodrigues de Almeida

Seja bem-vindo ao mundo Loveat. O meu nome é Mafalda Rodrigues de Almeida, sou nutricionista, fundadora da empresa e autora de 3 livros de receitas. A Loveat está estruturada em 4 grandes áreas de negócio sendo que a primeira se dedica às consultas e ao acompanhamento Nutricional para os nossos pacientes. A segunda dedica-se à gestão de eventos onde fazemos showcookings, formações, team buildings, ou então workshops práticos ou teóricos para os nossos clientes, que podem ser grupos de empresas, faculdades ou o consumidor final. A Terceira área em que nos focamos é a produção de conteúdos media, em que trabalhamos com marcas do sector alimentar para produção de receitas em formato de fotografia ou video. Trabalhamos também na representação das marcas como embaixadores das mesmas. Temos ainda um blog onde publicamos conteúdo credível sobre alimentação saudável e nutrição.
Por último, mas não menos importante, trabalhamos com empresas do sector alimentar, seja a nível de industria seja de restauração. Trabalhamos em conjunto no desenvolvimento de produtos para o portfólio destas empresas, ajudamos na elaboração de menus e fichas técnicas, calculamos o fodcost, desenvolvemos o sistema de HACCP de raíz e ajudamos também na construção de um restaurante de raiz.
Queremos que a Loveat venha simplificar as escolhas dos nossos clientes e ajudá-los a ter as ferramentas necessárias para uma vida mais nutritiva e completa.

loveat

Quando agenda uma consulta de nutrição através do site da Loveat, por defeito, está a agendar comigo. No entanto, a equipa cresceu e estamos a dividir-nos por diferentes áreas de especialidade. Eu trabalho sobretudo mudanças de hábitos alimentares, perda ou ganho de peso, alimentação vegetariana, saúde intestinal, doenças inflamatórias e autêimunes. Se pretende um acompanhamento nutricional para as áreas de fertilidade, gravidez e nutrição infantil, envie-nos um email a pedir agendamento com a Nutricionista Rafaela Teixeira.

Trabalhamos com marcas nas quais acreditamos e que se coadunam com o estilo de alimentação que preconizamos. Desenvolvemos trabalhos de product placement nas redes sociais, criação de receitas, produção de conteúdos e ainda formações e eventos para as mesmas.

workshop de cozinha

Na Loveat adoramos cozinhar e ensinar! Aliamos estas duas áreas na produção de workshops de cozinha, webinares, palestras e formações teóricas, seja para empresas, instituições ou para grupos de pessoas individuais.

Licenciei-me em Ciências da Nutrição pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde Egas Moniz e, depois disso, segui para Londres para me formar como Mestre em Politicas alimentares na City University London. Comecei o meu percurso na Clínica Dra Teresa Branco e, posteriormente, estagiei na Eurest onde explorei mais a área de restauração. Trabalhei depois na Dietimport onde desenvolvi muito a minha capacidade de comunicação e formação e passei depois para a Nutrialma onde pude ser mais criativa e explorar a área de desenvolvimento e produto, fichas técnicas e inovação alimentar. Em 2018 fundei a Loveat e, desde então, trabalho tanto a área de inovação alimentar na restauração como a área clinica. Motivo-me muito por projetos criativos e desafios, por isso, gosto de trabalhar com pessoas e perceber aquilo que as influencia e as cativa. Quer seja num contexto empresarial, num restaurante, numa consulta, num workshop ou através de comentários nos canais de comunicação, a sua opinião acrescenta sempre valor ao meu trabalho.

Em 2014 lancei o meu primeiro livro de receitas, Gourmet em Casa, onde juntei as receitas da minha infância e adolescência. As receitas que faziam para mim e as receitas que fazia para os meus. É um livro guloso, cheio de memórias e que funciona como o bloco de receitas que a avó tem em casa, a única diferença é que está encadernado.

Depois, em 2016 recebi um convite da editora Saída de Emergência para lançar o meu segundo livro, dedicado a receitas com Superalimentos e com uma perspetiva muito mais funcional da alimentação. Em 2018 lancei o meu terceiro livro, Equilíbrio, onde exploro a nutrição para a saúde intestinal e apresento receitas variadas para uma alimentação que promova o equilíbrio da flora intestinal. Podem saber mais sobre este meu trabalho na página “Livro”.

A minha rede social de eleição é o instagram, onde partilho muito do meu dia a dia alimentar e de trabalho, faço quizzes sobre alimentos, respondo diretamente às questões dos seguidores e faço videos live sobre diversos temas relacionados com Nutrição.Tenho ainda um podcast chamado Alimentação Saudável onde me poderão ouvir falar sobre estes assuntos e ficar a conhecer um pouco melhor as pessoas que entrevisto. O grande foco da loveat e das suas redes é a educação alimentar e é isso que podem esperar ver por aqui.

Filosofia e missão

Apesar de muitas pessoas me fazerem esta pergunta eu não sou vegetariana. Tenho uma alimentação maioritariamente vegetal, evito ao máximo os alimentos processados e não sou muito apologista de alimentos com ingredientes que não reconheço (ex: edulcorantes, conservantes químicos, aromatizantes ou corantes). Tenho alergia à proteína do leite de vaca e síndrome do cólon irritável. Não falo muito sobre estas questões mas são consideravelmente limitativas para uma vida que não seja bem controlada na alimentação, stress e descanso.

Sou defensora de que a alimentação é a nossa base, a forma como nos alimentamos representa a forma como nos tratamos a nós mesmos. O nosso corpo é a nossa casa, se não o tratarmos bem, não nos podemos queixar que ele comece a falhar. Como tenho estes problemas digestivos, noto isto em primeira mão. Sempre que como bem e respeito o meu corpo e aquilo que sei que lhe faz bem sinto-me mais bem disposta e com mais energia. Quando descuro a minha alimentação, como menos sopa ou fruta, noto logo menor capacidade de concentração, menos energia, mais preguiça. É um ciclo vicioso.

De uma forma geral uma alimentação saudável é comer 3 a 5 porções de fruta e legumes por dia, praticar uma alimentação maioritariamente vegetal, evitar açúcares e gorduras etc… Para mim, além de tudo isto, uma alimentação saudável tem que ser funcional. Ou seja, deve ainda respeitar os sinais do corpo (Ex: se não me sinto bem quando como muitos alimentos com glúten não devo insistir, é um sinal de que o organismo não consegue metabolizar bem os seus componentes), e deve servir para nos fortalecer e permitir a prevenção de doenças. Os antioxidantes estão por todo lado na nossa alimentação, desde que ela seja equilibrada e tenha uma base vegetal. Por isso é muito fácil a alimentação tornar-se funcional. Se comermos bastantes legumes e fruta e evitarmos gorduras saturadas, açúcares refinados e alimentos processados, conseguimos tirar o máximo partido desses antioxidantes, permitindo que eles reforcem o nosso sistema imunitário em vez de estarem constantemente a combater o stress oxidativo que estes alimentos nocivos lhe provocam. Apesar de não ser fundamentalista nas restrições, acho que devemos manter uma alimentação o mais equilibrada possível para que a possamos considerar saudável e adequada a nós mesmos.

ENTRETANTO NA NiT