cacau Tag

O cacau em pó é obtido a partir da pasta de cacau proveniente do fruto do cacaueiro (Theobroma cacaoL., Malvaceae). É preparado a partir de sementes que sofrem processos de fermentação, secagem, torrefação, moagem e prensa. O cacau tem uma enorme complexidade, contendo mais de 300 constituintes diferentes. Os seus principais componentes incluem: manteiga de cacau (ácidos gordos: oleico, esteárico e palmítico), minerais (magnésio, potássio, ferro e zinco), metilxantinas (teobromina e cafeína), polifenóis (tais como os flavonóides, presentes em alta concentração no cacau), além de outros compostos como tiramina, triptofano e serotonina. Os polifenóis são um grande grupo de compostos

Bolo de chocolate sem glúten ultra fofo Adaptado de Vegan Simple Blog Ingredientes 6 ovos 100g de farinha de grão 100g de farinha para bolos sem glúten 100g de açúcar mascavado escuro 1 colher de café de bicarbonato de sódio 1 colher de chá de fermento para bolos sem glúten 250ml de sumo de laranja natural 100ml de mel 3 colheres de sopa de azeite 3 colheres de sopa de cacau em pó Preparação Pré-aqueça o forno a 200ºC. Numa batedeira colocar os ovos, o sumo, o açúcar mascavado, o mel e o azeite e bater bem. Juntar o cacau em pó, a farinha de grão, a farinha para bolos sem glúten, o

Já ando a amealhar receitas de brownies há uns bons anos e tenho encontrado inúmeras variações engraçadas para fazer. A de hoje é um bocadinho peculiar porque leva pera e beterraba, mas faz jus ao chocolate tropical de São Tomé que eu usei. Combinações improváveis mas que funcionaram tão bem neste brownie! Brownie de chocolate com pera e beterraba Ingredientes 1 pera 1 beterraba cozida (podem usar crua mas a cozida fica mais doce) 100g de chocolate negro 75% de cacau KAOKA 65g de cacau em pó 100g de mel 4 ovos 6 colheres de sopa de azeite 50g de farinha de amêndoa (amêndoas trituradas até obter textura de farinha) 100g

Querem uma receita ideal para fazer ao pequeno-almoço ou ceia, bem quentinha e que vos reforça o sistema imunitário neste frio? Aqui está! A Ashwagandha tem muitos nomes – ginseng indiano, padalsingh e cereja do inverno são apenas alguns.  As suas raízes e o fruto laranja-avermelhado são utilizados há centenas de anos para fins medicinais sobretudo na medicina Ayurveda. Alguns estudos têm associado a Ashwaganda com a proteção contra o cancro e até a protecção contra a degeneração das funções tiroideias. Mas como nem todos os estudos são muito conclusivos, o que podemos ter como certeza é que contém um elevado valor

Na semana passada recebi esta caixa presente do Celeiro com a nova linha da Dr. Organic de Manteiga de cacau. A manteiga de cacau é naturalmente hidratante e esta linha foi desenhada para peles sensíveis, secas e gretadas, ideal para esta época mais fria do ano.  A Dr. Organic é uma marca livre de parabenos, SLS, silicones, óleos minerais, Glicois, DEA, BHT, pertrolatos entre outros compostos químicos. Como acho que já ficou bastante claro por aqui que eu adoro cacau :) claro que fiquei logo super inspirada, e decidi fazer uma receita simples, rápida e com poucos ingredientes, tal como estes

Andei a testar mais uma receita de biscoitos saudáveis para vos trazer. Adoçadas com açúcar de coco e com uma base de farinha integral, são super saciantes. E deliciosas claro, só vos trago coisas boas :) Biscoitos de amêndoa, avelã e caju para cerca de 26 biscoitos Receita adaptada de The Vegan Bible Ingredientes 100g de farinha de amêndoa 10g de sementes de linhaça 75g de açúcar de coco 30g de óleo de coco 45g de manteiga de amêndoa 125ml de bebida de amêndoa 250g de farinha de trigo integral 1 colher de café de fermento em pó 1 colher de café de bicarbonato de sódio 1 colher de café de essência de baunilha sal 50g

Quando os primeiros colonizadores espanhóis chegaram à América, o cacau já era cultivado pelos índios, principalmente os Aztecas, no México, e os Maias, na América Central.  De acordo  com os historiadores, o cacaueiro, chamado cacahualt, era considerado sagrado.   No  México os Aztecas acreditavam que esta árvore tinha uma origem divina e que servia tanto para alimentar como para tornar as cidades mais bonitas. Inicialmente o cultuvo do cacaueiro era acompanhado por cerimónias religiosas. Por essa razão, quando foi classificada pela primeira vez pelo botânico sueco Carolus Linneu, este atribuiu-lhe um nome que significa “manjar dos deuses”. Só quando Cristóvão Colombo descobriu a America é que o cacau se tornou mais conhecido e começou a sua expansão e,