nutrição Tag

Quando o paciente é questionado em consulta sobre a quantidade de fruta que deve consumir diariamente a resposta é quase sempre a mesma: 3-5 peças. No entanto, este pensamento não está totalmente correto. Realmente o intervalo 3-5 surge nas recomendações feitas pela direção geral de saúde, no entanto o grupo de alimentos em questão não é apenas a fruta, mas sim 3-5 porções de frutas e vegetais. 1 porção equivale a 80g de fruta ou legumes ou 1 peça de fruta de tamanho médio ou ½ chávena almoçadeira de legumes cozinhados ou 1 chávena almoçadeira de legumes crus. O recomendado é a ingestão

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a nutrição é uma área onde a individualidade está muito presente. As recomendações propostas pelo nutricionista ao seu paciente variam de acordo com o objetivo, composição corporal, rotinas entre outros aspetos. No entanto, existem algumas sugestões que podem e devem ser aplicados pela população em geral, contribuindo para um estilo de vida mais saudável. Uma destas sugestões que pode criar como rotina é a forma como compõe o seu prato. Para que a construção da sua refeição seja saudável e nutricionalmente mais equilibrada pode compor o seu prato da seguinte forma: se dividir o seu

Ao longos dos últimos anos a batata doce tornou-se uma fonte de hidratos de carbono muito popular em regimes de emagrecimento e alimentação saudável. Por isso hoje vamos analisar este alimento á lupa e compará-lo com a batata tradicional.  100g de batata-doce (cozida) contém: 112 kcal, Proteínas: 2,48, Hidratos de carbono: 25,88g (dos quais açúcar: 6,86g), Lípidos: 0,13g, Fibras: 4,2g. 100g de batata convencional (sem casca, sem sal, cozida): 86 kcal, Proteínas: 1,71g, Hidratos e carbono: 20g (dos quais açúcar 0,85g), Lípidos: 0,1g, Fibras: 1,8g. Em termos calóricos, a batata-doce é superior à batata-doce convencional, por conter mais açúcar. No entanto, tem mais

Na semana passada, fui convidada pelo Continente para ir á apresentação do projeto  À Roda da alimentação com a Catarina Furtado. "‘À Roda da Alimentação’ surge do compromisso do Continente em promover a alimentação saudável em Portugal e tem como porta voz a apresentadora, presidente da Associação Corações com Coroa e embaixadora da Boa Vontade do Fundo das Nações Unidas para a População. Nos últimos 30 Anos o Continente posicionou-se como a loja de referência dos portugueses. Como tal, está atento às tendências do mercado e necessidades do consumidor, tendo o tema da Alimentação Saudável assumido um papel fulcral na sua estratégia.

Todos os produtos alimentares apresentam um rótulo nutricional destinado a fornecer toda a informação necessária sobre o mesmo. É obrigatório por lei todos os alimentos que sofreram qualquer tipo de processamento, por mais pequeno que seja, conterem um rótulo alimentar. Segundo o Regulamento (EU) Nº 1169/2011 de 25 de Outubro, a rotulagem corresponde a “todas as indicações, menções, marcas de fabrico ou comerciais, imagens ou símbolos referentes a um género alimentício que figurem em qualquer embalagem, documento, aviso, rótulo, anel ou gargantilha que acompanhem ou se refiram a esse género alimentício”. Através da leitura de um rótulo conseguimos identificar os produtos

Todos nós somos um bocadinho emocionais com a comida. Eu, confesso, sou muito emocional neste sentido. Se estiver preocupada ou mais em baixo perco o apetite por completo, se estiver muito calor há muitos alimentos que não me apetecem comer, se estiver stressada quase tudo me cai mal, se viajar fico com imensa vontade de comer alimentos gordos ou cheios de açúcar. Mas há um pormenor interessante que eu já reparei em mim e em muitas pessoas que vêm as minhas consultas, quando estamos felizes e de bem com a vida (ainda que seja só num dia) comemos de forma

ENTRETANTO NA NiT